Ateliê próprio com
confecção artesanal

Talento e criatividade são fatores imprescindíveis para qualquer composição feita no ramo da joalheria, porém a atuação no mercado de trabalho exige também a perfeita aplicação de materiais nobres através da confiabilidade, resultando na garantia de uma joia legítima com seu verdadeiro valor.

A Sarepta tem a responsabilidade de manter a essência e a qualidade em todas as suas criações, desde a interação do desejo à finalização da ideia, na busca de uma joia rica em todo o seu conjunto.

Nosso início trouxe valores únicos na conquista de um grande sonho. Hoje sabemos que todos os dias trazem um novo ensinamento e é por isso que, cheios de entusiasmo, traçamos metas e objetivos alinhados com a verdade e a integridade de bons negócios.

A noite do dia 29 de outubro de 2006 nos trouxe em especial uma palavra de conhecimento, que chegou a ser aplicada ao que é vivo dentro da Sarepta atualmente.

Sarepta é uma cidade, localizada junto ao Mar Mediterrâneo, entre as cidades fenícias de Tiro e Sidom. Ela é citada na Bíblia no capítulo 17 do livro de I Reis, onde o autor descreve a história do profeta Elias e de uma viúva. Deus o envia para a

cidade e garante que a viúva que mora ali dará comida a ele.

Ao chegar no portão da cidade ele a encontrou pegando lenha, e lhe pediu água e pão. Ela responde que não tem mais pão, apenas um pouco de farinha de trigo em uma tigela e um pouco de azeite em um jarro. A viúva estava prestes a morrer de fome com o seu filho e o profeta pediu para que ela não se preocupasse e que ela fosse preparar sua comida, primeiro para ele e depois para ela e seu filho, pois confiavam no que tinha dito o Senhor. Ela fez conforme sua instrução e todos eles tiveram comida por muitos dias.

Nesta história o profeta estava sendo provado por Deus, e trás o sentido para a palavra "Sarepta", que vem do hebraico e significa "refinaria", onde as nossas obras são provadas como sendo de palha ou de ouro. Quando é feito o processo de refinamento, tudo o que for impuro será consumido pelo fogo e apenas restará a pureza total do ouro.